Bragança Jovem Popular

Bragança Jovem Popular é o blog da distrital da Juventude Popular que se impõem pela diferença: não criticamos sem propor, não propomos só por falar, nem falamos sem conhecer. Porquê?! Simples!... Porque àqueles que "falam, falam, falam e não fazem nada", escasseia algo que nós temos de sobra: irreverência, ideias e vontade de agir!

quinta-feira, agosto 31, 2006

culap a moda do ps

Como ja vem sendo hábito no Ps as tradições nao mudam. Como por exemplo o facto de a culpa morrer solteira(como na esquerda em geral). São uns anjinhos , nunca tem culpa de nada(ha sempre uma explicação logica para os seus fracassos). Ja para outros partidos se algo correr mal sao incompetentes. E uma vez mais Mario Soares numa recente entrevista ate diz que nao queria ser candidato. Mas pergunto eu porque tera aceite esse convite sabendo que ja iam tarde e nao havia nada preparado? Sera que o brigaram a aceitar com uma arma apontada?
É por estas e por outras que ha quem tenha rasgado o seu cartão de eleitor, outros que ja nem votam ... dai a minha insistencia da inclusao da area politica nas escolas uma vez que a maioria consegue ser manipulada pelos meios de comunicação e nao conseguem pensar por eles proprios.
Trapalhadas do Ps a parte ha ainda outro facto curioso. Como podem os meios de comiunicação (ou quem os dirige e digo mesmo manipula) ter medo e/ou repugnancia cada vez que aparece a extrema direita nas suas revindicaçoes? É que custa entender como quem se auto- intitlua de culto e supostamente inteligente apoiar a extrema esquerda? Sera que lhes agrada a ideia de transformar Portugal numa segunda Cuba ou país de Leste? Ja diz o povo que no meio é que esta a virtude.
Entrar em radicalismos a esquerda ou a direita é meio caminho andado para uma guerra civil. (apesar da ja conhecida brandura dos portugueses). Apesar das motivações serem diferentes deveriam ter em atenção o que se esta a passar no medio oriente.

quarta-feira, agosto 30, 2006

Ja ouviram dizer que ...fumar mata?


As campanhas de choque anti-tabaco , só resultam ... porque o preço do tabaco mais impostos não param de subir ... Ainda assim, não deixa de ser curioso , meterem o SR. Padre no anuncio.

Peso ou medo?

Para ja é so o Comando de Pessoal do Exercito que sera transferido para o Porto. Uma ligeira melhoria é certo mas uma vez mais preferindo o litoral ao interior.Segundo o JN o facto deve-se a que o Norter e Centro representarem cerca de 60 % do recrutamento geral para o ramo terrestre das F.A.Como arumento ha ainda a Mudança de Comandos e fim das Regiões, redução admnistrativa e reforço operacional e recrutamento proximo dos objectivos.Este é um bom exemplo de mobilidade que deveria ser seguida noutros ramos profissionais, uma vez que o território nao é so Lisboa ou Porto. E deveria haver uma melhor distribuição do Pessoal quer sejam militares, professores, médicos para assim poder haver um maior equilibrio no país.É que como devem ter reparado sou da opiniao que o pessoal do estado deve estar onde faz falta e nao onde lhes convier mais.Ha que haver um minimo de organização.Finalizo com uma questão : sera que esta mudança tem a ver com o peso do Norte como vem noticiado no JN ou sera antevendo uma revolta do no Norte?

domingo, agosto 27, 2006

Vale a pena ler...

Caríssimos,

Nota dezanove é a que eu daria ao artigo que saiu hoje no "Público", na última página, da autoria de Vasco Pulido Valente, intitulado "Folias de Verão". E não digo nota vinte apenas pela referência ao D. Duarte de Bragança que levou por tabela. Aqui ficam dois pequenos excertos para abrir o apetite para que todos leiam o artigo na íntegra.

"Manuel Monteiro leva ideologia à praia" é o título de uma notícia do Expresso. Uma pessoa fica pasmada e vai ver melhor. É verdade, é mesmo verdade: é a rentrée de Manuel Monteiro, antigo Presidente do CDS e agora Presidente de uma coisa que se chama "Democracia Nova" ou "Nova Democracia" em Vila Praia de Âncora (onde, por acaso, se come bem). Monteiro tem uma carrinha de "caixa aberta" (o que será isso?), um microfone, um altifalante e um "Manifesto da Direita em Portugal" (ainda em fase de estudo). Mas, como ele próprio confessa, não "tem gente para um comício": nem "militantes", nem "eleitores", nem sequer basbaques. Mas nada disso o desanima. Em Vila Praia de Âncora há uma avenida com "esplanadas cheias". Muito bem. Monteiro tenciona "reintroduzir" no "debate ideológico" quem lá estiver. À força: "chega", "pede desculpa" por "incomodar" e "fala dez minutos". O bom povo veraneante de Vila Praia de Âncora que se precate. O dr. Manuel Monteiro anda atrás dele para "fundar a direita como tal". "Como tal", convém notar.

(...)

Não tarda nada o sr. Manuel Monteiro e o duque de Bragança irrompem no Rossio, vestidos de cetim e lantejoulas, põem um tapete no chão e começam às cambalhotas, para converter a população à monarquia e à direita (nova e como tal). Esperemos que a Câmara dê licença e que, no Porto, o sr. Rui Rio se mostre tolerante. Ninguém deve contrariar um maluquinho com uma causa. Principalmente, um maluquinho "famoso"."

Um passo mais á frente.


A comissão política Concelhia do CDS do Vimioso, acabou de dar um passo mais em frente , criamos desta vez um website , para complementar o já famoso blog.
Aos intersados deixamos o endreço , htt://wwwcdsvimiosocpc.homestead.com.
Esta página , contém toda a informeção necessária para quem quisere contactar esta CPC .

sexta-feira, agosto 25, 2006

Droga: sem birras nem tabus

Li no diário de Trás-os-Montes, mais um excelente artigo da nossa querida Ana Soares, que passo a transcrever:

"Droga: sem birras nem tabus
Uma sociedade que se governe pelo facilitismo e permissividade em demasia, traduz-se numa verdadeira “República das Bananas”. Bem diz o nosso povo que tapar o sol com uma peneira nunca deu (nem dá!) bom resultado… A questão da toxicodependência e das salas de chuto merece ser tratada com toda a seriedade e idoneidade e não como um assunto que, com total irresponsabilidade e inconsciência, é lançado de forma sistemática por alguns para a praça pública com insensibilidade (tal como sucede com o aborto), como se o cerne destas questões não incidisse na vida humana e na dignidade da mesma.A existência das salas de chuto, perdoem-me não as tratar por salas de injecção assistida mas nunca fui muito dada a eufemismos, não reduziria de modo algum o consumo, como é reconhecido até pelos defensores da proposta. A sua mais valia parece residir em tornar o consumo de droga mais saudável. Incoerência das incoerências. Como é possível que a principal preocupação seja tornar mais sadio algo que é na sua essência mortal e destruidor?!A droga e toxicodependência merecem uma luta frontal e clara, e não uma palmadinha nas costas porque, relembre-se, que todos os casos de dependência de drogas são tratáveis; são curáveis. Enquanto contribuinte, prefiro ver os meus impostos empregues em campanhas e tratamentos pois, isso sim, tem como resultados a diminuição dos danos, cessação de riscos, fim de martírios. Não são instalações com todas as conveniências situadas perto dos bairros típicos de consumo ou estruturas deslocáveis que desincentivam ao tráfico e consumo de droga. Sublinhe-se que nos casos em que sejam usadas drogas de substituição está já provado que elas degradam como as drogas substituídas.É ao introduzirem-se salas de chuto que se tenta esconder a dura problemática da droga e não o contrário, como alguns tentam fazer crer. A toxicodependência existe, que o digam inúmeras famílias que sofrem ou sofreram já a dura prova que é ver alguém preso nas amarras da droga. Certamente que não duvidariam entre escolher ser o carrasco da continuação do cativeiro ou a chave para abrir novas portas.É necessário continuar e ampliar a presseguição ao tráfico de droga. É necessário apostar na prevenção e reforçar os meios para que uma reabilitação integral seja possível, não esquecendo a imprescindível mensagem que o tratamento é possível e sensibilizar a sociedade a receber um ex-toxicodependente não com receio nem com pena, mas como um ser humano que deu mais uma oportunidade a si próprio. Com a criação das salas de chuto, um toxicodependente apenas se iria acomodar na sua situação e não se sentiria motivado a uma profunda luta para a mudança. É necessário relembrar que existe uma luz ao fundo do túnel e que seja a própria sociedade e poder político a incentivar que ela seja atingida.Em vez de velhas birras de governantes e sem dar lugar a velhos tabus, é tempo de Portugal criar uma verdadeira agenda contra o tráfico e consumo de droga, baseado na situação presente, apostando na sua recuperação e pela sua não repetição no futuro."

Mais uma vez... Muitos Parabéns Ana!

Nao a lavagem cerebral !

Estou completamente de acordo com a Ana e o que escreveu no seu brilhante artigo mas acrescentaria que não so corremos o risco de nos tranformarmos numa républica das bananas mas tambem de ter o maior numero de bananas por metro quadrado da Europa.
O problema é que enquanto houver gente a pregar por ai dizendo que ja que a vida é uma selva devemos comportarmo-nos como animais.
Da ideia de que estao a crer proteger alguem e em ultimo caso o seu proprio tacho. Uma vez que quanto menos instruidos forem os cidadãos (se nao nao "obrigavam" os professores a passar os alunos para se verem livres deles) mais rapidamente podem consumir com preocupante avidez a "renovada" proganda de esquerda.(parece é que cada vez mais ha uma incapacidade de pensar por meios proprios ... dai a constante necessidade de fazer uma ligação entre a esquerda e a cultura, e o abuso intensivo de propaganda barata. Pois estão enganados porque nao se pode chamar culto a meia duzia de chicos espertos que querem é viver as custas do estado... ou seja todos nos).
No que diz respeito a droga... divertem o povo com sexo, drogas e ao som do Rock vao-se rindo da miseria alheia.
A verdade é quem medo de que o povo escolha livremente.
Quem sao agora os maiores ditadores(diria mesmo opressores do livre pensamento)?

ps: no tempo da pide nao havia internet e na tv havia bons profissionais.

Os filhos do perconceito...


As ultimas semanas , têem sido animadas no Vimioso, a prová-lo está a crónica de um ilustre filho da terra na revsita Sabado desta semana. Só não entendo, é o motivo de tanto espanto , espelhado na mesma crónica sobre o facto de , Ministros e Ex-Ministros , Presidentes e Ex-Presidentes de garndes empresas se sentarem á mesa do café , na esplanada da praça á conversa , depois de termos estado a jantar lautamente ... restauarnte do costume como lhe chama o Dr. Alberto Gonçalves . Até porque , não é a primeira , nem será a ultima vez que isso acontece , pelo simples facto de que Vimioso , não ficou conhecido , porque um iluminado filho da terra , achou estranho vêr tanta gente conhecida na praça. Também não entendo, como é que o Sr. Dr. que se diz um cronista sério, naturalmente quando não se rí, não mencionou o facto de a autarquia não estar representada ... certamente , pensou que estava ...mas não...não foram convidados.
Ora , para um cronista SÉRIO, que vem para Vimioso , descontrair , jantar no restaurante do costume, contar as estrelas e beber copos com os amigos , vêr a praça invadida por gente conhecida não é normal em pleno Agosto , até porque perturba o seu decanso . Pois fique o Sr. Cronista SÉRIO , sabendo que Vimioso , recebe essa gente e sabe receber . Vimioso não é só conhecido , pelos deschos do Supremo Tribunal Administrativo , ácerca das incompetencias camarárias, mas sim pelas suas gentes , SÉRIAS, hospitaleiras , e que gostam muito de receber gente importante e não só.
Cronistas SÉRIOS, que só sabem escrever de um lado , são filhos do perconceito , da falta de ambição dos que não querem crescer.

quinta-feira, agosto 24, 2006

sexta-feira, agosto 18, 2006

170.000 Portugueses ,vão ter médico de família !!!

Foi com mais esta , afirmação que o ministro da saúde aparceu hoje .
Mais 17o.ooo Portugueses, vão ter médico de família, através USF (unidades de saúde familiar) . Tudo isto ,com os mesmos recursos humanos actuais.
Ora, das duas uma... ou o ministro da saúde não esteve no ultimo concelho de minstros , ou então ... estes socialistas continuam sem saber fazer contas.
Não é de todo possível, ainda que os médicos em numero actual façam mais horas extras , até porque o mesmo CM , acabou de decidir que os funcionários publico só podem fazer 2 horas extraordinárias por dia e no máximo 100 horas por ano.
Agora ... explique lá Srº Ministro , como é que os mesmos médicos vão atender mais doentes , sem fazer mais horas extras? Se conseguir fazer contas.

terça-feira, agosto 15, 2006

Também eu estou de luto !!!

Quero nesta hora, manifestar a minha total solideriedade ao povo do concelho de Mirandela.
Também eu nasci em Mirandela , há 35 anos atrás , por isso , estou de luto como todos os que nasceram em Mirandela . Mas ainda assim, não há ministro da saúde nenhum que nos tire o orgulho de ter nascido em Mirandela .
A verdade , é que os filhos de alguns dos meus amigos já não vão nascer em Mirandela, e isso é motivo suficiente , para não querer ouvir falar neste ministro sem saúde , que nem sabe onde vai nascer o neto dele . Ora , se não sabe onde vai nascer o neto, porque carga d'água teria de se importar de onde vão nascer os netos dos outros ?
É triste, ninguém merece um minstro destes , ou devo dizer... um governo destes , a cortar despesas ,onde nos dói mais , á custa da saúde de todos , com consequencias que ninguém pode desde já , adivinhar ...ou prever .
Por tudo isto ,defendo que a demissão do ministro da saúde , não resolve nada que tenha vêr com os problemas por ele causados... Olhem para o ministro das finanças , foi trocado , por uma marioneta do primeiro ministro, a ser substituido este minsitro da saúde, seriamos brindados com ...outra marioneta. Isso não queremos... obrigado.

Os palno tecnológico ....como ele é !!!


Entidades ocultas,... desconhecidas , invadiram o gabinete do 1º Ministro ,enquanto ele fazia , figuras triste no Brazil e descobriram o verdadeiro plano tecnológico.

Esperem só , até publicarmos o orçamento de esatdo para o proximo ano...

domingo, agosto 13, 2006

Comunicação social da região

Todos quantos me conhecem sabem que tenho especial apreço pela comunicação social regional, sendo que desde nova tive oportunidade de participar em vários órgãos de imprensa e rádio.

No entanto, é com especial pesar que vejo que alguns órgãos da comunicação social (Graças a Deus não todos, nem sequer (felizmente!) a maioria!) dão primazia, sobretudo no que concerne a entrevistas, áqueles que se vem provando que apenas querem encerrar o nosso distrito...

Lamento que a comunicação social local, tendo em conta o seu especial carácter regional, muitas vezes não tenha em atenção que além do seu papel jornalístico de insenção, deveria ter também um forte vínculo de defesa do nosso distrito.

Os incendios ...outra vez !!


Como todos sabem, não tema que me anime particularmente, mas devido aos acontecimentos dos ultimos dias, não posso deixar passar em claro, tal ... "desplante" .
Quando ouvimos as notícias , ultimamente , percebemos que os meios estam ou supostamente estiveram no local e em gande numero, no caso particular que me chocou mais , este último na serra do Gerês ,em pleno parque natura , foi-nos dito , que éram mais de 350 homens, 130 viaturas , 3 helicopetros , 2 aviões tipo canadair, e um aerotanque russo... com tudo isto , andou arder a serra do Gerês , 5 dias e 5 noites. Bem sei , as temperaturas eram elevadas , o vento estava muito forte , e o fogo tem caprichos que o homem não controla . Entendo até , que as condições de acesso também não tenham facilitado . O que já não entendemos, são as declarações que um (in)respensável do ICN , proferiu no local para o país inteiro ouvir... "... o que ardeu, não é preocupante, foi mato rasteiro , que é de decomposição lenta e então demora muito a arder, o que nos preocupa é o que se vai seguir , poeque o fogo está a entrar numa zona do resinosas e essas sim ardem mais rápido..." . Não acham preocupante ? Para este senhor os milhares de espécies ardidas , no Parque Nacional da Peneda Gerês , não são importantes porque demoraram muito a arder ? O facto de serem espécies únicas , so existentes naquele parque , não conta ...conta o facto de levarem uma data de tempo a arder...
É este tipo de coisas , que não podemos deixar passar em claro.

sexta-feira, agosto 11, 2006

Duvida

Como o proprio titulo indica tenho uma duvida.
Sera que algum ministro deste Governo disser a Mota Andrade que o Melhor para a Região é ele afogar-se num poço sera que o faria??????
Não me admira que tenha estas intervenções porque 1º nao é mulher e segundo nem da região é.
Sera que nao ha gente capaz em tras os montes?
Pelos Vistos para o PS os santos de casa nao fazem milagres. Mas os que vao buscar tambem deixam muito a desejar.

quarta-feira, agosto 09, 2006

Comunicado À Imprensa

A Comissão Política Distrital de Bragança da Juventude Popular considera inaceitável o tratamento dado pelo Ministro da Saúde a todos os utentes do serviço nacional de saúde, em particular com o anúncio do encerramento da maternidade de Mirandela feito numa entrevista ao “Jornal de Notícias”.
Como sempre foi afirmado, é entendido por esta distrital que apenas a manutenção das duas maternidades do distrito de Bragança serve os interesses da comunidade local, sendo que todos os esforços devem ser conciliados no sentido da melhoria dos serviços prestados e não do seu encerramento. A dignidade da vida humana e condições viáveis de acesso aos serviços de saúde não podem ser postos em causa em nome de critérios economicistas, que jogam com a vida dos habitantes do distrito de Bragança como se de meros números se tratassem. Apenas o total desconhecimento das tortuosas vias de comunicação existentes no distrito de Bragança podem possibilitar a inconsciente decisão do encerramento de uma maternidade, sendo que a situação actual já exige longas e penosas deslocações por parte das grávidas dos concelhos mais longínquos de Bragança e Mirandela.
Mediante o anúncio do Ministro Correia de Campos na sugestiva secção “Etcetera de Verão” do “Jornal de Notícias” de 6 de Agosto de 2006, fica provado que apenas se trataram de manobras de distracção e de artimanhas politiqueiras os actos que até hoje tiveram lugar por parte dos responsáveis locais e nacionais sobre esta questão.
A Juventude Popular do distrito de Bragança apela a que todos os Transmontanos se unam na defesa das duas maternidades e que não se dê lugar a divisionismos bacocos, uma vez que este é um ataque a toda a população do distrito e não aos habitantes do concelho de Mirandela. Esta estrutura política tudo fará na defesa dos reais interesses e necessidades do distrito de Bragança, contando com o empenho dos órgãos nacionais do CDS, da JP e do Grupo Parlamentar para a não concretização deste que representaria mais um passo no caminho de um Interior despovoado e sem condições.
O desrespeito a que o Ministro da Saúde submete os brigantinos tinha já antes ficado expresso pela ausência de resposta por parte da tutela ao abaixo-assinado organizado pela JP em Dezembro último, que no espaço de uma semana recolheu mais de 4500 assinaturas.
Como estrutura política de juventude, a JP não pode ficar indiferente aos sucessivos ataques a que o governo tem submetido a nossa região. Como jovens que acreditam e querem trabalhar para o desenvolvimento do distrito de Bragança, os jovens populares nunca compactuarão com políticas do governo socialista, que aparentemente pretendem “encerrar” o distrito de Bragança. Porque o distrito de Bragança tem muitas potencialidades que a juventude pode concretizar, o encerramento de uma maternidade seria um retrocesso na caminhada para uma Bragança de e com futuro. Como diziam as t-shirts que os militantes da JP envergaram nas manifestações pela manutenção das duas maternidades “Birras só dos bébés, não do Senhor Ministro!”.


Comissão Política Distrital de Bragança
Juventude Popular

terça-feira, agosto 08, 2006

Qual é o problema do Senhor Ministro?

Nunca vou a um SAP nem nunca irei!

Prestes a ser avô pela terceira vez, o ministro que encerrou maternidades escolheria Badajoz se o neto quisesse nascer em Elvas. E só levou aspirina no estojo de primeiros socorros das férias...

Faço-lhe a mesma pergunta que fiz ao porta-voz da Associação Nacional de Farmácias se lhe doer a cabeça em férias, entra na primeira loja de medicamentos, seja ou não farmácia?
Não. A primeira coisa é procurar saber qual a razão por que me dói, se tomei alguma coisa que me fez mal, se estou constipado, se há alguma causa externa. A última coisa que faço é tomar medicamentos.

E no seu estojo de primeiros socorros tem paracetamol?
Também tem aspirina…

Prefere-a?
Estou mais habituada à aspirina. E tem efeitos úteis para outras coisas, como o efeito vaso-dilatador…

E efeitos nocivos para o estômago...
Tomo-a em meios comprimidos e no meio da refeição. Protegido (risos).

Se estiver a retemperar na sua terra natal e tiver um problema de saúde de noite vai ao Serviço de Atendimento Permanente do centro de saúde mais próximo ou aguenta até à manhã seguinte?
Vou directo à urgência do hospital ou a uma urgência qualificada como tal. Nunca vou a SAP, nem nunca irei!

A nenhum? Porquê?
Porque não têm condições de qualidade. Têm um médico e um enfermeiro e conferem uma falsa sensação de segurança. Nenhum deles devia funcionar assim!

Está a dizer-nos que a ideia é encerrá-los todos?
Não… não tire daqui nenhuma ideia… Não irei simplesmente porque não têm equipa suficiente, não têm meios de diagnóstico, não têm condições para resolver uma verdadeira urgência.

Passa essa mensagem aos seus pais, que ainda vivem em Viseu?
O meus pais nunca vão ao SAP. Vão às urgência do hospital. É um sítio garantido e seguro.

Tem um terceiro neto a caminho... Se as dores de parto chegarem em Elvas, para onde seguirá a nora?
(Risos) Para Badajoz, obviamente! É mais perto e são serviços de boa qualidade.

Portalegre não?
Se fosse mais perto...

E se for no IP4, entre Mirandela, Macedo e Bragança?
Depende. Se acontecer mais perto de Bragança, vai para lá, se for mais perto de Vila Real, será em Vila Real.


Em Mirandela é que não, apesar de não estar decidido qual a maternidade que se mantém no distrito, se esta, se a de Bragança?
Mirandela é a que tem menos equipa. Está assente que vai fechar no final do ano…

E onde nasce esse neto afinal?
A minha nora é beneficiária dos serviços de saúde dos bancários, é natural que seja numa maternidade convencionada. Mas o meu outro neto nasceu na Maternidade Alfredo da Costa. Quem sabe se este não acaba por nascer lá também!

É Verão, todos os dias nos massacram a cabeça com cancro da pele. Já lhe ocorreu sugerir a comparticipação de protector solar?
O que me ocorre é apoiar as iniciativas de saúde pública de prevenção do melanoma.

Acredita que funcionam?
Acredito. Vê-se cada vez mais gente a sair da praia entre as dez e o meio-dia e a chegar entre as 17 e as 19.

Antes das férias, gostou de ser empurrado do palco dos media pela sua colega da Educação?
(Risos) Tudo isto tem uma explicação muito simples a ministra da Educação é uma pessoa altamente capaz e tem vindo a desenvolver uma política de grande qualidade. Este Governo goza de uma grande popularidade e coragem. E as oposições têm sido sistematicamente derrotadas no debate público. Encontraram na ida da ministra ao Parlamento uma fenda para espetar uma adaga. Mas isso não trouxe nada ao país.

Não se sentiu aliviado por deixar de ser o bombo da festa?
(Risos) Não. Não. Fez-me vibrar de solidariedade!

Que medidas surpresa nos preparou para a rentrée enquanto vadiou estes dias por Sintra?
Não há nenhuma surpresa neste Ministério… Tem tudo a ver com três prioridades essenciais. Até ao fim do ano, a prioridade número um é conter o défice. E as prioridades do plano são a reforma dos cuidados primários com as unidades de saúde familiar e a aposta nos cuidados continuados. Para isso, temos que ter SAP encerrados, horas extraordinárias revistas, remunerações acertadas, computadores afinados, enfermeiros e médicos motivados… Temos que ter os hospitais e os centros de saúde em ligação directa. E é o que vamos ter em cinco hospitais até ao final do ano.

Ivete Carneiro
in JN 06-08-2006


Depois de ler esta entrevista, confesso que fiquei um bocado chocado, derei mesmo completamente estupefacto...
Pergunto-me como é que é possivel alguém, numa só entrevista, conseguir dizer o maior numero de incoerências e contradições possivel e imaginário acerca do seu próprio trabalho...
(acho que nem o Salvador Dalí errou tanto quando escreveu "RREBOHLUCIONT" em vez de "REVOLUCION")

Será que o senhor sofre de algum tipo de problema psicológico, será que teve uma infância infeliz, a mãe dele não lhe dava leite, quando era pequeno?

Qual é o problema do senhor ministro, afinal?

Por favor, alguma alma caridosa que consiga trazer alguma luz a esta questão, pois neste momento sinto-me algo baralhado.

Actualidade

Actualidade
Ca estou eu uma vez mais para lançar um pouco de luz aos mais distraidos (uma vez que este Governo, qual catastrofe natural parece eclipsar a memoria e a inteligencia deste país).Este Governo faz lembrar a celebre frase : "Estavomos a beira do precipício ... felizmente demos um passo em frente ".Isto a proposito das Maternidades que teimosamente teimam em fechar. Para que nao digam que nao se apontam soluções porque nao baixam de uma vez as médias das faculdades de medicina? (o porque nos sabemos mas enfim ...) Ja que ha falta de profissionais nessa area... e ja agora porque nao impor cotas de profissionais da saude no interior em vez de se bater pelas famosas cotas na vida politica?É tambem triste verificar que em qualquer parte do mundo se ha um conflito Portugal so actua para nao parecer mal aos olhos da comunidade internacional . Digo isto porque normalmente os governos de esquerda olham para os seus exercitos como fonte de votos para depois os abandonar na sua vidinha de quartel nao se apercebendo eles que estao a fazer o papel de marionetas. Nao digo que tenham de ter vos mais activa mas eu se estivesse num alto cargo sem meios e condições demitia-me. Mas parece que este tipo de vida agrada a muita gente...enfim gostos nao se discutem.Em relação ao caso Cubano veremos a posição deste Governo que tanto gostaria que assim fosse ca em Portugal. E ha que dizelo as vezes que forem necessarias uma ditadura de esquerda esta atravessada na garganta de muitos dirigentes politicos que nao concebem o facto de ter havido uma de direita e nao uma de esquerda.O que nao se percebe muito bem pois aquele que disser ou insinuar pensamentos de direita é alvo de perseguição (no plano psicologico e ate mesmo no campo profissional).Para nao ser demasiado pesado fico por aqui (por hoje) lembrando apenas que nao se esqueçam de ir vendo as noticias tb neste jornal onde participa a militante mais exemplar do CDS. (ja sabem a quem me refiro )
http://www.diariodetrasosmontes.com/index.php3

Uma imagem vale mais que mil palavras .










As imagens que se seguem , não foram publicadas nos Estados Unidos por razões ... puramente ideológicas.

segunda-feira, agosto 07, 2006

Sem Tua e sem Nada

A JP Bragança mostra-se indignada com notícias que tem vindo a sair na comunicação social que dão conta do encerramento da linha-férrea do Tua. As declarações que o Sr. Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações tem vindo a fazer à Comunicação Social, não só não são convincentes como mostram uma total incoerência com as medidas que o governo diz pretender tomar para travar a desertificação do interior.

Medidas como esta só vão contribuir, ainda mais, para a estagnação e desertificação da região, visto que o distrito ficará, a partir de então, sem ligação ferroviária.

A JP Bragança manifesta o seu repúdio por medidas e decisões que considera serem um feroz ataque à dignidade Humana e ao respeito pelo ser Humano.
Não há numeros nem estatísticas que justifiquem o sacrifício de tão sangrada terra ou suas gentes que, pelas suas condições, mais não conseguem fazer, se não tentarem sobreviver numa competetição desigual e desonesta dentro de um Estado aparentemente coeso e igualitário, e que olha para cada região, tendo sempre em conta os seus problemas ou limitações. Se se analisar bem a situação, enquanto o litoral luta por mais e melhores serviços, o interior está a travar uma luta para manter os poucos que lhe restam.
Sr. Ministro, as pessoas não são numeros e não devem ser tratadas como tal...